Quarta-feira , 13 Dezembro 2017
Últimas Notícias
Capa » Geral » Ejaculação precoce na adolescência

Ejaculação precoce na adolescência

Ejaculação precoce na adolescência

A ejaculação precoce é um problema que tende a revelar-se extremamente comum na adolescência. Caracterizado pela incapacidade de controlar a ejaculação voluntária em mais de 50% das relações sexuais, este problema afecta perto de 40% dos adolescentes e pode comprometer seriamente a qualidade da sua vida sexual, quer no que diz respeito à masturbação, quer no que toca ao acto sexual em si.

O que causa a ejaculação precoce na adolescência?

Sofrer de ejaculação precoce significa não ter a capacidade de concluir o acto sexual de um modo que se revele satisfatório para ambas as partes. Ainda que este problema se revele comum entre Homens de todas as faixas etárias, é particularmente recorrente entre adolescentes. Tipicamente, quem apresenta esta disfunção demonstra a incapacidade total de controlar a ejaculação e tende a atingir o orgasmo em menos de 2 minutos após o inicio do acto sexual. Este cenário torna-se extremamente preocupante para quem sofre do problema uma vez que constitui um grande obstáculo ao usufruto do intercurso sexual.

Entre adolescentes, a ejaculação precoce pode ser potenciada por uma enorme diversidade de factores, mas na maior parte dos casos, o problema costuma ter causas puramente psicológicas. A ansiedade, por exemplo, costuma revelar-se um poderoso inimigo de uma boa performance sexual, uma vez que pode, não só contribuir para cenários de ejaculação prematura, como também para o desenvolvimento de disfunção eréctil.

O nervosismo durante o acto sexual frequentemente assume o papel de principal responsável pela ocorrência de uma ejaculação prematura. É importante notar, no entanto,  que ejacular prematuramente, só por si, não deverá ser encarado como um indicador de existência de um problema. Para que se conclua que existe mesmo um problema de ejaculação precoce é necessário que o mesmo ocorra, pelo menos, em cerca de 50% dos actos sexuais. Ainda que muitos adolescentes fiquem preocupados logo após o primeiro caso de ejaculação precoce, só haverá necessidade de agir caso sintam que a sua vida íntima tem sido negativamente afectada pela ocorrência de ejaculações prematuras.

Em adolescentes, a ejaculação precoce apresenta uma correlação muito íntima com os hábitos de masturbação. Adolescentes que não tenham muita privacidade, e por isso necessitem de se masturbar apressadamente em locais como aa casa de banho tendem a apresentar uma maior predisposição para o desenvolvimento do problema, do que aqueles que tenham a oportunidade de se masturbar relaxadamente no seu quarto, sem a interferência de familiares. Isto porque, quem tem privacidade para se masturbar à vontade, acaba por usufruir da oportunidade de explorar a sua intimidade de uma forma mais aprofundada, sem medos nem tensões, aprendendo assim mais facilmente a controlar-se

O tratamento do problema pode revelar-se relativamente simples, e na maior parte das vezes não requer a utilização de qualquer tipo de medicação. Existem diversas técnicas que podem ser utilizadas como modo de controlar a ejaculação, entre elas a famosa técnica do “começa-e-pára”, que consiste em interromper a masturbação e voltar a retomá-la logo após o pénis ficar novamente flácido. A repetição regular desta técnica tem demonstrado um elevado nível de eficácia no desenvolvimento de um bom auto-controlo da ejaculação durante o acto sexual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*